Acha que pouca verba é nosso único problema na ciência brasileira?

Depois as pessoas reclamam que o governo compra as coisas mais caro, reclamam de superfaturamento, etc. Conviva apenas alguns momentos com a questão da compra pública e você vai entender o que realmente acontece. Vou dar alguns exemplos.

Solicitamos a compra de pinças cirúrgicas para o laboratório. Para isso, temos que cotar os preços comerciais de três vendedores, com CNPJ e tudo. Hoje para cada ítem que precisamos comprar, antes de abrir a licitação (ou pregão eletrônico) já temos que provar com três orçamentos que o valor de mercado do ítem que estamos solicitando é aquele. Abriu-se o pregão eletrônico e as empresas enviaram suas propostas. Como as propostas foram superiores à cotação, o pregão foi cancelado. Ou seja, as empresas na hora de vender para o governo aumentam o preço e não praticam os preços normais. Com isso ficamos sem as pinças, pois vai ser necessário refazer toda a primeira cotação para depois refazer o pregão, e agora o ano se foi e tudo só poderá ser feito ano que vem.

Outro exemplo.Tenho um equipamento que é basicamente uma caixa isolada aberta na frente como uma estação de trabalho, com iluminação fluorescente, iluminação UV para esterilização e tomadas. O fabricante é uma empresa nacional que não vou citar. Desta vez a verba que tenho para arrumar isso é proveniente de recurso aprovado em agência de fomento à pesquisa (FAPEMIG, no caso), pois se esperar fazer licitação vai demorar demais e preciso do equipamento. As lâmpadas UV pararam de funcionar. Troquei-as de lugar com as fluorescentes e funcionaram. Pensei em fusível ou o reator.

Em contato com a assistência técnica da fábrica, abri o tampo do equipamento, verifiquei as conexões e fotografei os reatores. São dois idênticos, tanto para as lâmpadas UV quanto para as fluorescentes. A assistência me disse que o reator deveria ser trocado e que iriam verificar o que usam atualmente para me passar o orçamento.

Neste meio tempo eu peguei a marca e modelo do reator e procurei na internet. Não encontrei um igual e então escrevi para o fabricante do reator. Eles me ligaram e me informaram que é um modelo antigo e que mudou apenas o material externo, que era branco e agora é preto, e me apresentaram o modelo. Uma coisa me deixou preocupado, pois o fabricante do reator disse que este modelo não era ideal para UV, mas que se a fábrica do equipamento o colocou nele, então devem ter testado. Imagino se não foi este o motivo de ter estragado o reator das lâmpadas UV e não o das fluorescentes, pois são absolutamente idênticos. Enfim, encontrei vários vendedores desta exata marca de reatores, do exato modelo, e vi preços variando entre R$ 18,00 e 22 reais. Aguardei a cotação da fábrica do equipamento.

Quando abri a cotação, minha surpresa. A fábrica pedindo R$ 270,00 pelo reator. Sim, mais de 10 vezes o valor mais caro que cotei. Ah, sim, eles me informam que “o reator será enviado já com fiação e conectores para, apenas, encaixar na cabine” e o frete está incluso. Não tive alternativa a não ser responder que se eu pagar isto pelo reator posso ir preso. E posso mesmo, pois é um claro superfaturamento.

Hoje veio a resposta deles.

“A […] não apenas irá revender o reator do fabricante. Nós iremos prepara-lo para que possa ser utilizado em seu equipamento, com fiações e adaptadores. Tudo isto é incluso no valor final que consta em nosso orçamento, uma vez que também nosso técnico do departamento de assistência técnica será deslocado para realizar estes procedimentos com um modelo de reator que nós não trabalhamos mais. Se o sr preferir, podemos incluir todo este descritivo na proposta ou emitir uma proposta de SERVIÇO (Conserto) ao invés de venda.

 

Caso o sr opte por adquirir o reator diretamente com o fabricante, o mesmo irá funcionar normalmente. Entretanto, a […] não se responsabiliza por danos ou mal funcionamento causado pela manutenção.”

 

E então, o que devo fazer? Contratar um serviço superfaturado ou perder a assistência técnica maravilhosa do fabricante? É só a mim que isso soa como coação? Ele quer que eu acredite que o valor inclui seu técnico vir até aqui para apenas encaixar o reator na cabine, pois o preço inclui os maravilhosos fios e conectores com frete incluso? Quantas vezes esta empresa vai me chamar de imbecil?

Um colega me alertou para uma outra empresa que está vendendo equipamentos importados que vem direto da Alemanha. Quando chega, a caixa está vazia. E se foi o porteiro, um aluno ou qualquer outro que recebeu o pacote e não abriu na hora, adivinha de quem é o prejuízo???

Assim, meus caros, cada vez que você ouvir que algo foi mal comprado por órgão do governo, que foi pago caro, que foi superfaturado, lembre que nem sempre é corrupção. Ás vezes somos coagidos. Ás vezes não temos escolha. E quem está lucrando não é governo, é civil. É a mão do mercado determinando os preços diferenciados para órgãos governamentais ou para o cidadão. Se o equipamento do qual estou falando e dependendo fosse algo ultratecnológico, eu estaria nas mãos da fábrica. Felizmente é uma caixa com lâmpadas. Posso cuidar disso. Por outro lado, tenho outros equipamentos deles menos simples e torço para não ter problemas no futuro.

Já não basta ter poucos recursos, ainda temos que lidar com esses espertalhões que acham que como é do governo podem extorquir.

Estou aberto à sugestões de respostas.

 

Questo sito usa Akismet per ridurre lo spam. Scopri come i tuoi dati vengono elaborati.